Por Ariel Kogan, Marcio Vasconcelos e Thiago Rondon*

Com a pandemia causada pela Covid-19, tal como muitas outras organizações, nós, do Instituto Tecnologia e Equidade (IT&E), precisamos inovar e redesenhar várias das nossas ações. Acreditamos que é importante compartilhar como tem sido esse processo ao longo das últimas semanas.

Desde 2018, o nosso foco tem sido o combate à desinformação, desde o lançamento da Pesquisa pesquisa “Desinformação em Eleições: desequilíbrios acelerados pela tecnologia” e o White Paper “Recomendações Sistêmicas para Combater a Desinformação nas Eleições do Brasil”

A partir desse trabalho, desenvolvemos, em parceria com o MCCE e com a Agência Lupa, uma agenda de eventos para discutir com o TSE e com os TREs os principais assuntos relacionados à desinformação acelerada pela tecnologia. Essa é uma das principais frentes de ação do Instituto, desde antes da pandemia.

A iniciativa faz parte do programa Democracia Digital — Eleições 2020, realizado por nós, pela Agência Lupa, e pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) para conscientizar, educar e ajudar no combate aos processos de desinformação em massa nas próximas eleições municipais.

O objetivo do programa é construir uma rede articulada e mobilizada para combater a desinformação nas próximas eleições com a participação de públicos estratégicos e com o apoio dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), organizações da sociedade civil, meios de comunicação independentes e cidadãos em todos os estados brasileiros.

Devido à impossibilidade de fazer viagens e eventos presenciais, decidimos migrar o projeto para o ambiente virtual, iniciativa que conseguimos tirar do papel em duas semanas, com inúmeras horas de trabalho e muita dedicação.

Em meio à pandemia, nos dias 11 e 14 de maio, realizamos os primeiros talks shows de uma série de encontros online e gratuitos que serão realizados ao longo deste ano pelo programa Democracia Digital. Além da participação de especialistas do programa, o primeiro foi realizado com representantes do TRE-BA e da OAB-BA e o segundo foi realizado com representantes do TRE-SE e da OAB-SE.

O objetivo da série de talk shows é discutir e buscar os principais aprendizados decorrentes da crise de desinformação relacionada ao novo coronavírus para se preparar para o enfrentamento da desinformação no contexto das eleições municipais. Com a mediação da âncora da CBN, Petria Chaves, e a participação de especialistas do IT&E, Agência Lupa, MCCE e representantes do TRE, MPF e outras organizações locais, os eventos virtuais buscam discutir, sob esse guarda chuva, as realidades, especificidades e desafios em cada Estado.

O tema fixo do debate é “Como o combate à epidemia da desinformação sobre o novo coronavírus pode nos ajudar na preparação para as próximas eleições municipais?”. Ao longo dos próximos meses, ele será a inspiração principal do andamento dos encontros, com visões, dúvidas e colaborações de representantes de diversos estados brasileiros.

Ao todo, já foram realizados cinco eventos presenciais nos seguintes estados: Rondônia, Pará, Amazonas, Espírito Santo e Minas Gerais. Neste ano, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a iniciativa será realizada de forma online, a fim de dar continuidade ao necessário programa em tempos de quarentena instaurada em todo o país.

Certamente, ainda temos muitíssimo para aprimorar e aprender. Gostaríamos muito de ter o seu feedback sobre esse trabalho, receber críticas e sugestões para melhorar cada dia mais. Os próximos talk shows vão acontecer nos dias 4, 15, 17, 18 e 19 de junho.

Iniciativa para capacitar profissionais da Justiça Eleitoral

Nós e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral criamos uma capacitação para o TSE e TREs de Tocantins, Espírito Santo, Bahia, Paraná e São Paulo com foco no “Combate Sistêmico à Desinformação nas Eleições 2020”, utilizando conhecimentos especializados de Pensamento Sistêmico, plenamente acessíveis aos servidores da Justiça Eleitoral.

O objetivo da iniciativa é realizar a Capacitação em Pensamento Sistêmico e o apoio no Desenvolvimento de um Plano de Ação para o Combate Sistêmico à Desinformação nas Eleições 2020 com base no Mapa do Sistema Propaganda Eleitoral na Internet nas Eleições de 2020 e nas Recomendações Sistêmicas para combater a desinformação nas eleições do Brasil. De um projeto que antes seria feito presencialmente, precisamos mudar toda a dinâmica para o online.

A iniciativa foi dividida em três fases. A fase um conta com uma oficina para equipe técnica de cada Tribunal responsável por trabalhar diretamente no combate à desinformação nas eleições. A segunda fase reúne todos os participantes da fase um para trocarem experiências, informações e sugestões sobre os Planos de Ação desenvolvidos a partir da Oficina desenvolvida nos Estados e TSE. A fase três é uma reunião virtual por estado e também com o TSE para apresentação e finalização do Plano de Ação.

Nós já finalizamos 90% da fase um, o que significa a realização de 42 oficinas das 46 previstas com os seis tribunais. A avaliação até agora foi excelente! Mais de 70% das oficinas foram avaliadas com notas 9 e 10. Fizemos pesquisa de satisfação após cada oficina. Criamos apostilas com licença Creative Commons que estão disponíveis a todos tribunais, permitindo que o material seja usado livremente pelos tribunais e pelos seus servidores.

Além dos tribunais regionais eleitorais e o TSE, também tivemos a participação de integrantes dos Ministérios Públicos Eleitorais dos respectivos estados e até membros de Tribunais de Contas Estaduais e outras instituições importantes no combate à desinformação. Consideramos que tivemos um resultado excelente da fase 1. . A fase 2 está sendo planejada para ser realizada na segunda quinzena de junho. Os planos de ação resultantes da fase 1 estão sendo desenvolvidos com a supervisão do IT&E e do MCCE. E na segunda quinzena de junho serão apresentados, em três webinários,com os seis tribunais.

Massivo infodêmico das redes e o impacto na sociedade

Devido à urgência no combate à desinformação, temos trabalhado e compartilhado os nossos posicionamentos nas grandes mídias e nas redes. No dia 2 de fevereiro, a Organização Mundial de Saúde chamou o novo coronavírus de “massivo infodêmico” devido à superabundância de informação e desinformação nas redes sociais. Há uma dificuldade de encontrar informações precisas e há uma clara diferença entre SARS, MERS e Zika no aspecto de propagação, velocidade e até mesmo em relação ao impacto das informações, gerando diversos impactos acelerados na nossa sociedade. Nos últimos meses, realizamos algumas reflexões sobre esse assunto e que foram compartilhadas nestes artigos e entrevistas em diversos veículos:

O Instituto Tecnologia e Equidade vai continuar trabalhando com muita força para compartilhar conhecimento com os diversos atores da sociedade preocupados com o impacto da desinformação no processo democrático e para apoiar o fortalecimento dos processos que buscam diminuir e evitar esses desequilíbrios, sempre em busca de uma sociedade mais justa, ética, equitativa e democrática.

*Ariel Kogan, Marcio Vasconcelos e Thiago Rondon são diretores do IT&E.

Categories:

Tags: